Veja como foi a Expedição Jalapão

Serra da Catedral, São Félix, Jalapão, Tocantins.

Dia 23 de junho partimos de Palmas, Tocantins rumo ao Jalapão. Esta foi minha quarta viagem à região mas foi a primeira vez que levei um grupo para este que é um dos lugares de natureza mais pulsante que eu conheço. Considerado um dos cerrados mais preservados do Brasil, o Jalapão tem 34 mil quilômetros quadrados (maior que o estado de Alagoas) na região leste do Tocantins e engloba cinco áreas de conservação, entre elas um parque estadual. Éramos dez expedicionários: sete viajantes, eu e dois guias, divididos em duas caminhonetes 4×4 (sim, no Jalapão o transporte só é possível em carros tracionados).

Árvore caída na Cachoeira Roncadeira em Taquaruçú, Tocantins.
Macaco-prego com filhote na trilha da Cachoeira da Roncadeira.

Logo na saída paramos em Taquaruçú, nas Cachoeiras Escorrega Macaco e Roncadeira, que estão dentro da APA (Área de Proteção Ambiental) da Serra do Lageado. Depois seguimos até Ponte Alta, município que é considerado a porta de entrada do Jalapão. Após o almoço fomos visitar o Cânion Suçuapara, uma pequena mas charmosa fenda na planície. Para fechar o dia a Pedra Furada, um enorme morro de arenito alaranjado com vários furos causados por milhares de anos de erosão, banhado pelo últimos raios de sol do dia.

Final de tarde na Pedra Furada, Jalapão, Tocantins.
Pedra Furada, Jalapão, Tocantins.

No segundo dia partimos em direção a Cachoeira da Velha, formada pelas águas cristalinas do Rio Novo. Dali descemos um pouco até a Prainha onde, depois de um delicioso banho e muitas fotos, fizemos um piquenique. A tarde nos esperavam as dunas alaranjadas do Parque Estadual do Jalapão. Formadas pela erosão dos arenitos multicoloridos da Serra do Espírito Santo, as dunas adquirem tons incríveis ao sol poente.

Dunas ao entardecer, Jalapão, Tocantins.
Vista do alto da Serra do Espírito Santo.

No terceiro dia madrugamos para encarar a trilha que sobe a Serra do Espírito Santo, pois nossa meta era admirar o sol nascendo desde o seu cume. Depois de muitas fotos caminhamos mais três quilômetros por um cerrado rupestre no topo do serra até chegarmos ao segundo mirante, onde pode-se ver a erosão natural que forma as dunas. A tarde visitamos a cachoeira do Formiga com suas águas cor de esmeralda.

Fotografias na Cachoeira do Formiga, Jalapão, Tocantins.

No quarto e último dia começamos pelo povoado de Mumbuca, formado por descendentes de quilombolas, pioneiros no artesanato com o capim dourado, hoje famoso em todo Brasil. Depois de muitos retratos partimos para o fervedouro Bela Vista, em São Félix. A água cristalina brotando do chão proporcionou um banho relaxante aos viajantes e mais fotos. Depois do almoço pegamos a estrada de volta a Palmas com direito a uma parada para fotografar a bela Serra da Catedral.

Povoado de Mumbuca, Jalapão, Tocantins.
Fervedouro Bela Vista, Jalapão, Tocantins.

Foram apenas quatro dias mas pareceram muito mais tamanha a intensidade da experiência. Um grupo super bacana e lugares incríveis somados a experiência e competência dos guias garantiu o sucesso da expedição. Ano que vem tem mais! Veja aqui a programação para 2018/2019.

Siriema no cerrado do Jalapão, Tocantins.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

Site hospedado por WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: