Este projeto foi desenvolvido entre 2010 e 2011. Resultou num livro e numa exposição com curadoria de Rosely Nakagawa, que foram lançados em 2012 no Palácio Araguaia, em Palmas, Tocantins. Em 2013 a exposição foi exibida no Canela Foto Workshops e entre 2015 e 2016 circulou em 8 cidades catarinenses pelo SESC. O livro está disponível para venda por preço promocional. Veja mais aqui.

Texto da curadora

A imagem da paisagem era, até o século XIX, uma espécie de síntese das relações entre um conjunto de determinantes biofísicas e a ação do homem organizado em sociedades portadoras de uma historicidade, de uma cultura, de uma evolução tecnológica.

Quase sempre enquadrada por uma sociedade rural e tradicional, a pintura das paisagens nos devolvia- a segurança de um saber estável, coerente, reconhecível e em equilíbrio duradouro .

Com a fotografia, o registro da paisagem foi transformado em reconhecimento das marcas do tempo, das construções relevantes da história, do levantamento dos recursos materiais.

Nos últimos anos, conhecemos transformações profundas e radicais: a urbanização violenta, territórios devastados, regiões em risco, paisagens transformadas.

O papel do fotógrafo também mudou radicalmente. Do levantamento das riquezas, ele passa a denunciar a desconstrução da paisagem como ameaça à civilização e à cultura.

Zé Paiva, um caçador de imagens, transforma a paisagem em imagens de grande força e beleza. Mostra a paisagem como objeto de contemplação sem deixar de mostrar a ação do homem e a necessidade de equilíbrio.

A Expedição Natureza Tocantins mostra o desafio desta convivência delicada entre ações e contradições , entre a força e a delicadeza, numa luta constante do homem consigo mesmo numa paisagem deslumbrante em permanente mutação.

Rosely Nakagawa
Curadora