“MAKING OF” DOS ILUMINADOS

Caros amigos

Aqui neste vídeo, dirigido por Felipe Queriquelli e editado por Rodrigo Ferrari, vocês podem ver um pouco do making of do projeto “Iluminados, personagens da Ilha de Santa Catarina”, trabalho contemplado com o Prêmio FUNARTE Marc Ferrez em 2012 e que resultou numa exposição no Museu de Arte de Santa Catarina em 2013.

https://vimeo.com/67097012

Neste outro vídeo produzido pelo artista Diego de Los Campos vocês podem ver um depoimento meu sobre o trabalho e imagens da exposição.

 

Vencedor do Prêmio Marc Ferrez, fotógrafo Zé Paiva expõe no MASC

Os “Iluminados”, do fotógrafo Zé Paiva, terão seu espaço no Museu de Arte de Santa Catarina (MASC), administrado pela Fundação Catarinense de Cultura (FCC) em Florianópolis, a partir de 22 de maio. A exposição, vencedora do XII Prêmio Marc Ferrez de Fotografia promovido pela Fundação Nacional de Artes (FUNARTE), permanecerá no local até 16 de junho, com visitação gratuita. Paralelamente, o fotógrafo participará de bate-papo com o público (dia 28 de maio, às 19h) e ministrará um workshop (dia 29 de maio, das 19h às 22h).

Alecio  dos Passos

Sob curadoria de Denise Camargo, o projeto “Iluminados – Personagens da Ilha de Santa Catarina” mostra uma visão pessoal de Zé Paiva sobre os personagens inseridos em seus contextos de trabalho, alguns deles já conhecidos do grande público. Em comum entre essas pessoas estão suas ricas histórias de vida e o grande conhecimento de algum campo particular da cultura florianopolitana.

Polo Cabrera

“Zé Paiva compõe com rastros de luz. São eles que iluminam as histórias destes homens e mulheres marcados por seus ofícios. Nesta exposição, ele se embrenha também pelo cúmplice exercício de temporalidade na fotografia. E, entre poses e cenários, constrói uma paisagem para seus olhos e para os nossos”, define a curadora.

vista12d02535

Fazem parte da exposição 20 retratos e um autorretrato em formato backlight (fotografias montadas em caixas de luz), que serão expostos em uma sala na penumbra. A intenção do autor é trazer ao público a reflexão acerca da objetividade da imagem, já que os registros tiveram interferências do artista no cenário e na gestualidade da iluminação tipo lightpainting (pintura de luz com uma lanterna). Durante a exposição, será exibido o vídeo produzido pelo cineasta Felipe Queriquelli, que mostra o making of do trabalho executado pelo fotógrafo.

Seu Zequinha - pescador da Costa da Lagoa

A concepção da mostra partiu do trabalho realizado por Zé Paiva para a disciplina Imagem e Comunicação, ministrada pela curadora e professora de pós-graduação em Fotografia da UNIVALI, Denise Camargo. Inspirado pelo livro “A fotografia entre documento e arte contemporânea”, do francês André Rouillé (Editora SENAC – 2009), o autor começou com uma série de autorretratos em pose frontal, usando roupa, fundo e cenários neutros. Iluminado por lightpainting, Zé quis mostrar como somente a iluminação já é capaz de dar subjetividade ao resultado final. “A partir daí, incentivado pela professora Denise, iniciei uma experimentação para construir uma série de retratos de personagens usando essa técnica, incorporando à imagem a contextualização dada pelo cenário doméstico de cada retratado”, complementa o fotógrafo.

autorretrato

Sobre Zé Paiva

José Luiz Martins Paiva, ou simplesmente Zé Paiva, trocou a engenharia pela fotografia após uma longa viagem pela Europa e norte da África, em 1983. Iniciou no fotojornalismo na sucursal do jornal O Globo. Mudou-se, então, para Florianópolis, onde, desde 1984, dirige sua empresa.

Aprimorou seus estudos em 1993 no International Center of Photography, em Nova Iorque. Em 2012, concluiu sua pós-graduação em Fotografia pela Univali. No meio acadêmico, atuou ainda como professor de Fotografia na Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), na Fundação Universidade Regional de Blumenau (FURB) e na Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM).

Realizou exposições nas principais cidades do Brasil e recebeu diversos prêmios, entre eles o Raulino Reitz, da Fundação do Meio Ambiente de Santa Catarina, em 2002, e menções honrosas no International Photo Awards, em Nova Iorque, em 2005, 2006 e 2012, e no Prix de la Photographie, em Paris, em 2007. Em 2009 foi selecionado para a coleção Pirelli/MASP de Fotografia. Em 2010 foi finalista do Prêmio Conrado Wessel na categoria ensaio fotográfico.

Teve trabalhos publicados em dezenas de livros, revistas e calendários. Em 2004, lançou o livro Santa Catarina – Cores e Sentimentos, pela Editora Escrituras. Concebeu e coordenou o projeto Expedição Natureza Santa Catarina, que resultou no livro lançado em 2005 pela editora Letras Contemporâneas. Em 2008, lançou o segundo livro do mesmo projeto, Expedição Natureza Gaúcha, em parceria com a Editora Metalivros. Em 2012 lançou o terceiro livro da série Expedição: A Natureza do Tocantins.

Atualmente, administra sua empresa, a Vista Imagens e ministra oficinas de fotografia.

Serviço:

O quê: Exposição Iluminados – Personagens da Ilha de Santa Catarina, de Zé Paiva

Onde: Museu de Arte de Santa Catarina (MASC) – Avenida Governador Irineu Bornhausen, 5600 – Agronômica – Florianópolis/SC

Abertura: 22 de maio de 2013, às 19h.

Visitação: de 23 de maio a 16 de junho de 2013. De terça-feira a sábado, das 10h às 20h30min; domingos e feriados, das 10h às 19h30min.

Conversa com o artista: 28 de maio de 2013, às 19h, no MASC.

Workshop: 29 de maio de 2013, das 19h às 22h. Serão disponibilizadas 20 vagas gratuitas. As inscrições devem ser feitas pelo e-mail mis@fcc.sc.gov.br

Informações: (48) 3953-2319/3953-2324

(Visitas mediadas devem ser agendadas com antecedência)

Entrada gratuita

Fernanda Peres

fernanda@fcc.sc.gov.br
Assessoria de Comunicação Fundação Catarinense de Cultura
Av. Governador Irineu Bornhausen, 5600 – Agronômica – Florianópolis / SC
Telefone: (48) 3953-2354
Site: www.fcc.sc.gov.br
Facebook: www.facebook.com/FundacaoCatarinensedeCultura
Twitter: www.twitter.com/fccoficial


Zé Paiva

ze@vistaimagens.com.br
www.zepaiva.com.br
www.vistaimagens.com.br
fone 48 32697744
cel 48 8822 9660 (claro)
cel 48 9696 1900 (tim)

Prêmio Marc Ferrez

A Fundação Nacional de Artes, FUNARTE, divulgou o resultado do XII Prêmio Marc Ferrez de Fotografia. Foram 45 projetos contemplados em 3 categorias diferentes:

Módulo 1: Projeto de livre criação fotográfica: 15 projetos.
Módulo 2: Projeto de documentação fotográfica do Brasil: 15 projetos.
Módulo 3: Projeto de produção de reflexão crítica sobre fotografia: 15 projetos.

Os prêmios são de R$ 50 mil para cada projeto totalizando R$ 2,25 milhões.

O meu projeto “Iluminados – personagens da Ilha de Santa Catarina” foi um dos contemplados da categoria documental. O objetivo geral é mostrar uma visão pessoal sobre o tema retrato, através dos personagens em seu contexto de trabalho. Ao mesmo tempo vai revelar os retratados, alguns conhecidos do público, outros ilustres desconhecidos. Todos os “personagens” terão em comum o fato de terem uma longa história de vida e portanto acumularem uma sabedoria de algum campo particular da cultura da Ilha de Santa Catarina.

Serão no total 20 retratos e um autorretrato que serão expostos como backlights, ou seja, em caixas pretas com luz por trás, dentro de uma sala na penumbra. Este projeto foi concebido a partir de um trabalho realizado para a disciplina Imagem e Comunicação ministrada pela professora Dra. Denise Camargo, que fiz como parte da minha pós-graduação em fotografia na UNIVALI.

O ponto de partida foi uma série de autorretratos partindo de uma pose frontal, sentado, com uma roupa, fundo e cenário neutros. A partir daí fiz uma primeira imagem com uma iluminação aberta e difusa. Nas fotos seguintes iluminei-me através de lightpainting (pintura de luz com uma lanterna). Quis com isso mostrar como somente a iluminação já é capaz de dar subjetividade ao resultado final. A partir daí, incentivado pela professora Denise, iniciei uma experimentação para construir uma série de retratos de personagens usando essa técnica, incorporando à imagem a contextualização dada pelo cenário doméstico de cada retratado.

A inspiração para este projeto veio do livro “A fotografia entre documento e arte contemporânea” do pesquisador francês André Rouillé (Editora SENAC 2009). No capítulo “A transparência”, Rouillé descreve o trabalho de Bertillon, em 1888, no Serviço de Identificação da Chefatura de Paris. O mérito de Bertillon foi, segundo Rouillé, mostrar concretamente que a transparência da fotografia-documento não é produto automático da máquina, de um simples registro, mas o resultado de uma hábil construção de injunções (nitidez, luminosidade, frontalidade…) e de proibições (sem sombra, sem deformação, sem autor…).

Mais adiante, Rouille começa a anunciar a fotografia-expressão quando declara que o menor enquadramento é ao mesmo tempo inclusão e exclusão, que o mais extraordinário ponto de vista é tomada de posição, que o registro mais espontâneo é construção, é preciso insistir nisto: que informar é, sempre, de uma certa maneira, criar o acontecimento, representá-lo. Quando o autor finalmente discorre sobre a fotografia-expressão, afirma que os seus traços principais são: o elogio da forma, a afirmação da individualidade do fotografo e o dialogismo com os modelos.

Neste projeto vamos justamente questionar a objetividade da imagem, já que os registros tem a interferência do artista na intervenção no cenário, mudando de lugar objetos, móveis e adereços, e na gestualidade da iluminação lightpainting, que carrega consigo uma marca de imprevisibilidade, já que o artista não tem um controle preciso do processo. Os modelos e os cenários dialogam com a individualidade do artista que vai ser atraído pela cor de um tapete, pelo brilho de um crucifixo, por exemplo, e revelará esses aspectos no percurso do seu lightpainting.

Prêmio Fundação Conrado Wessel

Deu no ótimo blog Olhavê do Alexandre Belém (se você ainda não conhece confira). Para minha felicidade estou entre os 5 selecionados na categoria ensaio fotográfico publicado. Se você quiser conferir as fotos do meu ensaio veja no flickr o slide show.

 

Capivara na Estação Ecológica do Taim, Rio Grande do Sul. Foto de Zé Paiva/Vista Imagens

Saiu o resultado do Prêmio Conrado Wessel. O primeiro lugar na categoria Ensaio fotográfico publicado ficou com o ensaio “O sol no céu de nossa casa” de Márcio Rodrigues e Marcos Mendes. O segundo lugar ficou com o ensaio “Imagens humanas” de J. R. Ripper. Na categoria Ensaio fotográfico inédito, o ganhador foi o fotógrafo paulista Ricardo Barcellos.

Foto: J. R. Ripper. Da série Imagens humanas

Foto de Ricardo Barcellos

Na categoria Fotografia publicitária a vencedora foi a fotógrafa Denise Wichmann.

No Ensaio Fotográfico Publicado, o vencedor receberá o prêmio de R$ 114 mil e o segundo colocado, R$ 28 mil. O autor do melhor Ensaio Fotográfico Inédito receberá R$ 28 mil. Para a categoria Fotografia Publicitária, o prêmio para o primeiro colocado nessa categoria será de R$ 114 mil.

Tive o honra de fazer parte da comissão julgadora (categorias ensaios) desta edição do Conrado Wessel e disfrutar da companhia dos colegas Ricardo Chaves (RS), Joaquim Marçal (RJ), Hélio Campos Mello (SP), Ronaldo Entler (SP), Helouise Costa (SP) e Rubens Fernandes Júnior, curador do Prêmio FCW de Arte.

Pude comprovar o crescimento deste prêmio que já é uma de nossas mais importantes premiações da fotografia brasileira. Isso em valor pago aos vencedores, como também em fazer um mapeamento da produção nacional.

Este ano, foram 199 trabalhos inscritos: 117 na categoria Ensaio Fotográfico Inédito, 39 em Ensaio Fotográfico Publicado e 43 em Fotografia Publicitária. O mais interessante é que quase todo o território nacional estava representado. Foram inscrições de 63 cidades de 20 estados.

Ganhadores:

ENSAIO PUBLICADO
1°  lugar – O SOL NO CÉU DE NOSSA CASA – Marcio Rodrigues e Marco Mendes;
2° lugar – IMAGENS HUMANAS –  João Roberto Ripper.
SELECIONADOS:
LUGAR DE AUSÊNCIA  – Valéria Simões
SERTÃO SEM FIM – Araquem Alcântara
CAIXA DE SAPATO –  Cia de Foto
ESCOLHER E VIVER  – André François
NATUREZA GAÚCHA  – Zé Paiva

ENSAIO INÉDITO
1° lugar – SEM TÍTULO – de Ricardo Barcellos
SELECIONADOS:
AMAZÔNIA: VIDA, MORTE E SELVA – Sergio Ranalli
HOMEM PEDRA – Pedro David
VILA DIQUE  – Tadeu Vilani
ENCANTADOS  – Ricardo Teles

FOTOGRAFIA PUBLICITÁRIA
1º Lugar – OUSADIA ÍMPAR – Denise Wichmann
SELECIONADOS:
BOHEMIA VBB – INSTIT. 14 BIS – Alexandre Salgado
A VIDA É BELA – Bruno Maluf
SEM ÁGUA NÃO TEM TERRA – Cacalo
ALMOFADAS – Carlão
RESULTADO – Claudio Meneghetti
MODA E DESIGN NA COZINHA – Daniel Katz
CHIPARUS IV – Ella Durst
PROMOÇÃO NATAL – Gustavo Zylbersztjan
ALKA SELTZER ADEUS  – Henrique Lorca
GALINHA MOTORISTA – Leo Luz
MÉDICA – Marcus Hausser
FESTIVAL DE DANÇA DO TRIÂNGULO – Marlúcio Ferreira
BAILARINA – Mauricio Nahas
MOVIMENTO FLAMENGO – Paulo Laborne
GOLF – Ricardo Cunha
SPINE FEET 2 – Sandra Bordin
EXPLORAÇÃO INFANTIL – Studio Me
RAMORAMA I – Zarella Neto

Fonte: Alexandre Belém no Blog Olhavê.

Zé Paiva participa da Coleção PIRELLI/MASP

Por: Amanda Ziani / Dfato Comunicação

A Coleção PIRELLI/MASP, que possui um acervo de mais de mil fotografias e é uma principais do país, inicia a sua 17ª edição em 12 de março, com inspirações inovadoras refletidas nas 80 imagens. Desta vez, os organizadores do projeto contaram com uma consultoria regional para dar maior profundidade e abrangência de características históricas e estéticas de determinadas áreas do Brasil. Entre os 24 fotógrafos escolhidos em todo o país, está o portoalegrense, radicado há 23 anos em Florianópolis, Zé Paiva, único profissional de Santa Catarina a integrar essa edição

Amanhecer no Canion Fortaleza, Parque Nacional da Serra Geral, Cambará do Sul, Rio Grande do Sul, Brasil.

Com o foco voltado para a natureza que o cerca, em seus trabalhos mais recentes Zé Paiva realizou os projetos Expedição Natureza Santa Catarina e Expedição Natureza Gaúcha, em 2004/2005 e 2007/2008, respectivamente. Para conceber os dois livros, frutos desses projetos, ele ficou imerso em unidades de conservação estaduais e federais na busca por imagens que não só retratem de forma autoral e poética a diversidade de fauna e flora, mas também possam despertar a sensibilidade das pessoas para a preservação do planeta.

Sítio Arqueológico de São Miguel Arcanjo, Missões Jesuíticas dos Guaranis, São Miguel das Missões, Rio Grande do Sul, Brasil.

Para Zé Paiva, fazer parte da PIRELLI/MASP significa não só o reconhecimento à sua dedicação na área documental e de natureza, como um ganho em visibilidade. “O prêmio não é importante para o meu ego ou para eu me tornar renomado, mas sim porque ele serve de vitrine e abre portas para futuros trabalhos”, explica Paiva.

Rio Sepultura, São José dos Ausentes, Rio Grande do Sul, Brasil

A fotografia profissional foi incorporada por ele depois de uma longa viagem pela Europa e Norte África, em 1984. Desde lá, já realizou exposições nas principais cidades do país, recebeu prêmios como o Raulino Reitz, da Fundação do Meio Ambiente de Santa Catarina, e menções honrosas no International Photo Awards, de Nova Iorque, e no Prix de la Photographie, de Paris.

Zé Paiva premiado no 4º International Photo Awards

Por: Felipe Wünsch

O fotógrafo Zé Paiva recebeu duas menções honrosas na categoria Natureza do concurso mencionado acima com as fotos Sempre-viva e Saco da Bala. As imagens foram realizadas para o projeto Expedição Natureza, que resultou num livro e exposição fotográfica, recentemente apresentados na Galeria Nobre do Centro Cultural da Caixa Econômica Federal, em São Paulo. Em 2005 ele também recebeu duas menções honrosas neste concurso na mesma categoria.

A imagem Sempre-viva foi feita na Serra do Quiriri, em Garuva, norte de Santa Catarina, na Fazenda de Preservação do Alto Quiriri, de propriedade da empresa Ciser de Joinville. A planta estava no Rio Quiriri, um dos principais rios que abastece a cidade de Joinville.

A foto Saco da Bala foi feita na Ilha do Arvoredo, que faz parte da Reserva Biológica do Arvoredo, uma unidade de conservação ambiental federal que fica no município de Bombinhas, em Santa Catarina. O Saco da Bala é uma pequena enseada na ilha onde o mar aparou as arestas de grandes pedras vulcânicas.

O IPA é uma organização muito respeitada no cenário da fotografia mundial. Com 18 mil membros e afiliados ao redor do mundo tem a missão de saudar as conquistas dos melhores fotógrafos do mundo, descobrir novos talentos e promover a apreciação da fotografia. Desde 2003, o IPA tem premiado fotógrafos de todo o mundo em várias categorias. É como o Oscar da Fotografia. Neste ano a entrega dos prêmios será dia 30 de outubro, no American Airlines Theatre, na Times Square, em Nova Iorque. Fotógrafos como Duane Michals na categoria Retratos e David Bailey, fotógrafo de moda, serão homenageados. O vencedor do prêmio fotógrafo internacional do ano receberá a estatueta Lucie Awards e 10 mil dólares. As imagens premiadas serão publicadas num livro de capa dura e as 45 melhores serão exibidas na apresentação Best of show, que viajará por 9 países.


Relatório da Hering premiado pelo CCSC

Por: A. Saknussen

Zé Paiva é o autor das fotos do relatório anual da Cia Hering (a maior parte das fotos internas e a foto de capa), premiado no anuário do Clube de Criação de Santa Catarina. No anuário o crédito saiu errado!

A capa do relatório é uma foto da primeira camiseta da Hering, com mais de 120 anos. As foto internas em destaque forma todas feitas nas unidades da Hering em Blumenau e arredores. Quem assina o projeto gráfico é a NEOVOX de Florianópolis.

Zé Paiva já assinou diversos outros relatórios de grandes empresas tais como : Grupo Angeloni, SENAI E FIESC, entre outros. Ele imprime seu estilo pessoal nas fotos tornando assim cada trabalho único.