expedição cânions do sul na páscoa 2017

Olá pessoal! Vejam aqui como foi a Expedição aos Cânions desse ano.

Na subida para a serra já fomos presenteados com um belo por-do-sol, e ainda estávamos no transfer para o ótimo Cambará Eco Hotel, onde ficamos ano passado também.

Na primeira noite já partimos para um retrato da turma toda com lightpainting, e a lua cheia meio tímida no fundo.

No dia seguinte o sol anunciou o seu reinado e logo depois do café da manhã partimos para o Parque Nacional Aparados da Serra.

Primeiro fizemos a trilha do Vértice e depois a do Cotovelo, ambas com vista para o Cânion Itaimbezinho, cujos paredões chegam a ter 700 metros de altura.

Esta é a Cachoeira das Andorinhas vista da Trilha do Vértice.

Da Trilha do Cotovelo a visão clássica do cânion! Lá embaixo corre o Rio do Boi, outra trilha fantástica por dentro do cânion, mas aí é outra história.

Depois do parque ainda fomos à Cachoeira do Tio França, mas eu acabei curtindo mesmo essa foto de um velho galpão no início da trilha. A noite foi de muitas trutas no Restaurante do Lago, no próprio hotel, regadas a um bom vinho com direito a lareira e uma apresentação de harpa e violino pela esposa e a filha do chef!

Uma vista do Cambará Eco Hotel desde o pier no lago.

No terceiro dia fomos ao Parque Nacional da Serra Geral, onde fica o imponente Cânion Fortaleza. Começamos subindo a trilha que leva ao mirante natural, na boca do cânion, porém veio o fenômeno conhecido como viração. Consiste numa grande evaporação de água do mar, que está próximo, e que entra dentro do cânion fechando a visão e nos deixando dentro das nuvens.

Entre uma nuvem e outra fomos subindo e no topo fizemos uma foto do grupo.

Depois começamos a trilha para a Cachoeira do Tigre Preto e Pedra do Segredo mas começou a chover e abortamos a missão. Para fazer a trilha teríamos que atravessar o rio pulando de pedra em pedra, o que com chuva pode ser perigoso. Voltamos para a cidade para programas mais culturais e não menos interessantes: casa do mel, artesanato em lã de ovelha natural e outros. A noite foi a vez de irmos ao Casarão, um ótimo restaurante de comida italiana com uma horta orgânica que fornece todos os verdes.

No último dia mudamos nosso roteiro para conhecer a trilha que fica junto ao hotel, dentro de uma bela mata nativa com araucárias, bromélias e samambaias. Aliás, o nome é trilha das bromélias. O José Antônio, proprietário do hotel foi o nosso guia e contou sobre a história e a ecologia da região.

Assim fechamos com chave de ouro nossa Expedição Cânions do Sul. De 12 a 15 de outubro, feriadão de Nossa Senhora Aparecida, teremos outra viagem aos cânions. Em breve estaremos divulgando os detalhes.

Making of – Expedição Santuário das Aves

A Expedição Fotográfica Santuário das Aves, que aconteceu no carnaval 2017 no Parque Nacional da Lagoa do Peixe e região, foi um sucesso! Um grupo de sete expedicionários de diversas regiões do Brasil: São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília e Fortaleza, aventurou-se durante três dias por lugares inesquecíveis. Vejam abaixo algumas imagens da Expedição e confiram no blog a nossa programação de expedições fotográficas para o primeiro semestre. A próxima expedição é para os Cânions do Sul na Páscoa – 13 a 16 de abril – que está confirmada e ainda tem vagas. Saiba mais aqui no link.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Brasilien – o Rio Grande do Sul na Alemanha

Dia 31 de janeiro na galeria Bolsa de Arte, em Porto Alegre,  foi a vernissage da Exposição fotográfica e lançamento do calendário “Brasilien – o Rio Grande do Sul na Alemanha”. A convite da gráfica alemã USCHA do Unterleider Medien Gruppe o Canela Instituto de Fotografia e Artes Visuais, capitaneado por Fernando Bueno, convidou diversos fotógrafos gaúchos para participar desse projeto. A curadoria de Eduardo Veras, Manuel da Costa e Paula Ramos, selecionou numa primeira etapa  25 imagens de 15 fotógrafos. Numa segunda etapa foram selecionadas na Alemanha as 12 que entraram no calendário, impresso com a tradicional qualidade alemã. A escolha do tema foi uma forma da gráfica homenagear o Rio Grande do Sul, pela importância da imigração alemã no estado. Participam da Exposição os fotógrafos Clóvis Dariano, Dudu Contursi, Edy Koltz, Eneida Serrano, Fernando Bueno, Fabio Del Re, Gilberto Perin, Leonardo Savaris, Leopoldo Plentz, Luis Abreu, Luiz Carlos Felizardo, Paulo Backes, Martin Streibel, Tadeu Vilani e Zé Paiva. Vejam abaixo fotos (de Fernando Bueno) e vídeo (de Fernando Pires) da montagem e da abertura. A exposição segue até sexta feira 17 de fevereiro, portanto corre lá pra conferir que vale a pena!

A montagem cuidadosa da exposição na galeria Bolsa de Arte.

A montagem cuidadosa da exposição na galeria Bolsa de Arte.

Marga Pasquali, a proprietária da galeria Bolsa de Arte.

Marga Pasquali, a proprietária da galeria Bolsa de Arte.

O texto dos curadores Eduardo Veras, Manuel da Costa e Paula Ramos.

O texto dos curadores Eduardo Veras, Manuel da Costa e Paula Ramos.

Em primeiro plano o calendário da Uscha.

Em primeiro plano o calendário da Uscha.

Em primeiro plano uma das fotos de Zé Paiva.

Em primeiro plano uma das fotos de Zé Paiva.

Zé Paiva e Fernando Bueno na vernissage.

Zé Paiva e Fernando Bueno na vernissage.